nada se perde tudo se transforma

Postado em Atualizado em

A dica é do Guilherme, boa campanha, mas confesso que quem foi meu aluno ou estagiário já viu ou ouviu uma estória semelhante. Mas enfim, remixaram a idéia? Lembro que nos anos 90, século passado, eu andava pela Universidade Metodista, UNIMEP  na dúvida entre ser Jornalista, Publicitário, tocar guitarra a MTV ou me mandar pra Califórnia, entre CACs, DCAs, DCEs, UNE e programas de rádio na FM Municipal, Bj Marcela Matavelli, no meu tempo era o paraíso. ai tinhamos o SEPP, se me lembro bem era a Semana de Estudos em Publicidade Propaganda… mas enfim, lá tinhamos pessoinhas começando na profissão, hoje donos de circos ou savanas recheadas de leões de Cannes. lembro que o Fábio Fernandes era ainda redator da Y&R, o Loducca tb Redador da FCB e o Agnelo Pacheco foi palestrar em um desses encontros, naquela época o Olivetto fazia a gente acreditar na “parada” do pneu furar na porta de DPZ para seu primeiro emprego, o Marcelo Serpa e o Alexandre Gama eram dupla, enfim, outro dia a gente conta melhor outras, o que quero dizer é sobre uma estória que reconto sempre, atribuindo o devido crédito, para quem quer entender a profissão: a história dele era mais ou menos assim:

“Havia um cego, hoje, uma pessoa com restrição visual, que pedia esmola, ou ajuda perto da agência do Agnelo com uma placa que dizia “SOU CEGO”. Como era rotina para chegar a agência, já conversava bastante com o ceguinho pergunto: – Olá José, como andam as esmolas? José responde: – Seu Agnelo, tá fraco viu. Nesse instante o Agnelo pergunta, você me permite trocar essa sua placa? sem pensar, José concorda.

Passado algum tempo, Agnelo volta da agência com uma nova placa e diz: – José, use esta placa até eu voltar de uma viagem ok? Passaram-se alguns dias, no dia do regresso, Agnelo vê José e pergunta: – E ae José? tudo bom? como estão os negócios? José responde: Seu Agnelo, olha que o pessoal abriu a mão mesmo? o que o senhor mudou na placa? Agnelo responde, rapaz, eu disse a mesma coisa só que diferente, troquei as palavras “SOU CEGO” por “É PRIMAVERA, NÃO POSSO VER”.

Pode parecer piegas, mas neste dia eu me apaixonei pela profissão. Então repare o vídeo abaixo, eu creio que neste mundo nada se cria, nada se perde, tudo se transforma como dizia parafraseando Antoine Laurent de Lavoisier. enjoy :c)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s