eco status

você está no olho do furacao

Postado em Atualizado em

Prepare-se, usar eco bag é só o princípio. Reveja suas práticas cotidianas e seu consumo. Estamos em uma época comparada ao Renascentismo e a Revolução Industrial ou seja de mudanças extremas na economia, na sociedade mas fique atento: – estamos em transição. As mudanças não ocorrem por decreto ou por datas agendadas e sim por fatos históricos e para seu governo daqui a 20 anos vamos falar do sucesso ou fracasso de nossos atletas na copa do mundo ou das olimpíadas no Brasil e você vai lembrar de você e de suas atitudes, as mesmas que farão a diferença no mundo nos próximos anos, como dizem alguns de meus alunos: – “Ah! ce tá falando do efeito borboleta”, pode ser, se você entender que este seja o melhor significado para você ou gaia ou estamos todos conectados (antes mesmo da internet). Como dica de leitura sugiro o livro Necessary Revolution de Peter Senge e colegas. Ele autor do livro a 5º disciplina, promete sacudir as estruturas novamente. Kioto, Eco 92 e Rio+10 entre tantas é só o início. Prepare-se.

Curiosidades sobre o autor:

“As escolas de negócios são, de modo geral, verdadeiros desastres.”

É assim que Peter Senge, há décadas professor da Sloan School of Management do Massachusetts Institute of Technology (MIT), qualifica o atual sistema de ensino mundial. Para ele, o sistema ignora as especificidades dos negócios não permite que surjam inovações e desconsidera as demandas locais por mudanças.

Fonte: MKM consulting’s Weblog para saber mais acesse.

Veja o que te espera ou não – enjoy:)

Anúncios

literalmente um anúncio verde

Postado em Atualizado em

naturals

Advertising Agency: Lowe Ginkgo, Montevideo, Uruguay – Creative Directors: Fernando De Clemente, Sebastián Mir. – Art Director: Agustín Acosta – Copywriter: Alvaro Palombo

consumo e consumismo

Postado em Atualizado em

Pessoas, retomo aqui o assunto sustentabilidade. Não sou um nem o exemplo de ecologista, xiita, ou natureba, quem me conhece sabe que sou a pessoa comum, ou quase comum, mas isso não vem ao caso. O que eu quero dizer é que quando resolvi fazer Publicidade, pensava em ser o F*dão, selva de leões na estante, muita grana. Pois bem, no meio do curso me avisaram que era um curso de comunicação social, ainda bem. Enfim, com quase 20 anos de profissão publicitário, fora outros projetos e não são poucos (outro momento a gente pode conversar sobre isso). O consumo sustentável, o que parece a primeira vista um paradoxo, dá pra ser sustentável? digo que sim. O difícil é dizer para uma pessoa de um país subdesenvolvido que ele não vai ter ou poder comprar um carro, afinal as pessoas dos países desenvolvidos já tem e não tem mais espaço para isso. Imaginou a cena? pensa que mal, campanha para carros são tão legais.  É gostoso criar pra a indústria automobilística, digo que as campanhas de cigarros eram muito mais bacanas , cada um na sua, o sucesso, o fino que satisfaz, tinha até tri-campeão mundial de futebol depondo a  favor do cigarro, cert0? e hoje não existe mais.  Se cada um fizer a sua parte, mas qual parte você deve estar perguntando-se, escolha algo para começar, por exemplo, selecionando o lixo. Não passa coleta seletiva na sua cidade? mobilize-se e faça uso dessas 5 palavras: reduza, reutilize, repense, recuse e recicle. O primeiro passo para o consumo sustentável é você adquirir produtos que realmente necessita de empresas comprometidas com a sustentabilidade e a ética. Que dizem não ao tabalho escravo, que tratam seus resíduos, que buscam alternativas renováveis , que possuem projetos de desenvolvimento regional sustentável, que comprovadamente contribuem não só para a preservação da natureza, mas de toda a vida. Uma boa dica sobre o assunto é você acessar o site Mercado ético, que tem a Christina Carvalho Pinto como arquiteta,  o conteúdo é muito bom e você pode também acompanhá-la na TV ideal e na Rádio CBN. Retomando o assunto. E como vou fazer propaganda? com ética, enquanto não chega um post novo, curta essa ação da Saatchi & Saatchi . Enjoy :c)

wwfpaperdispenserjh0

Mais uma midia alternativa inteligente, passando mais uma mensagem de preservação ao meio ambiente. O WWF, para criar a conscientização ao consumo do papel, que causa o desmatamento, desenvolveu junto com a Saatchi & Saatchi, Copenhagen – Dinamarca, um dispenser de papel toalha com uma silhueta da américa do Sul, e usou folhas verdes para dar a alusão às florestas e a conseqüência do consumo, com a frase: “Salve o Papel. Salve nosso Planeta.” Isso prova que a sobrevivência das florestas, está ligada com o consumo das pessoas. Por isso a criação de consciência ambiental é preciso urgentemente.
Advertising Agency: Saatchi & Saatchi, Copenhagen, Denmark Creative Director: Simon Wooller Art Directors / Copywriters: Cliff Kagawa Holm, Silas Jansson  Fonte: Rough

bonita e limpinha

Postado em

achei a idéia muito bacana. Segue texto na íntegra que sou péssimo em traduções. Diz mais ou menos isso: Esta é a Yamarra Divide, uma solução elétrica, bonita e fácil de guardar. Quero um brinquedinho desse.

“Finding smart ways to get around is an ongoing quest. First there was the humble scooter, which had a cult-like following among inner-city execs in 2001. Coming up next is the Yamaha Divide, an electric commuter bike that folds up at the touch of a button to become more sculpture than scotter, more modern art than motorbike. Powered by a compact “smart power” electric motor, the Divide- which is still at concept stage (Yamaha hopes to put into production next year) – uses no petrol or oil so it can be stored inside where friends can view the “new art”. by Billy T”  fonte Thecoolhunter

Enjoy

Empresário anunciou Amazônia a US$ 50 bi

Postado em Atualizado em

Data: 26/05/2008 – fonte Clipping
Veículo: O GLOBO
Editoria: CAPA
Assunto principal: AMAZÔNIA
O empresário sueco Johan Eliasch, um dos fundadores da ONG Clean Earth, disse que a Floresta Amazônica poderia ser comprada por US$ 50 bilhões, ao estimular empresários a adquirir lotes, diz relatório da Agência Brasileira de Inteligência. Ele está sendo investigado pela PF por uma compra de 160 mil hectares na região, como revelou a coluna Panorama Político. Página 5

E agora José? Uns dizem que foi uma brincadeira, falaram por falar, gente que não tem o que fazer. Não se deixe enganar. Se prepare que se o Brasil – digo os Brasileiros- não se mobilizarem. Vamos perder o Amazonas, a Amazônia, e será que um dia ela foi de fato do povo brasileiro? . Será que não estão pondo em prática algo como aquela música do Raul?: – A solução é alugar o Brasil.

ALUGA-SE
Composição: Raul Seixas e Claudio Roberto

A solução pro nosso povo eu vou dá
Negócio bom assim Ninguém nunca viu
Tá tudo pronto aqui É só vim pegar
A solução é alugar o Brasil!…

Nós não vamo paga nada
Nós não vamo paga nada
É tudo free!
Tá na hora agora é free
Vamo embora
Dá lugar pros gringo entrar
Esse imóvel tá prá alugar
Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!…

Os estrangeiros Eu sei que eles vão gostar
Tem o Atlântico Tem vista pro mar
A Amazônia É o jardim do quintal
E o dólar dele Paga o nosso mingau
e por ai vai – Enjoy

Eco status

Postado em Atualizado em

alicia

Feriado, dia do trabalho.
Um bom dia para uma leitura e dentre elas, estava buscando novas informações sobre o consumidor. Enquanto o Pedroso está avaliando se manda ou não manda conteúdo pra postar, me atrevi a ponderar sobre alguns cenários onde o consumidor participa. Me deparei com um tema ou uma razão de compra que me parece estar desgastada até. o status. Foi na revista Management que encontrei uma citação do trendwatching (visite o site que é muito bom). O curioso foi a forma ou a estratificação em esferas que foi demonstrado, com ênfase ao eco consumidor, (acho que posso escrever ecoconsumidor, tudo junto sem parecer um erro de digitação), bem, são elas:

A esfera tradicional – Sinônimo de mais, melhor ou mais caro. Impulsionada por uma classe média mundial em ascensão e pelo aumento de indivíduos com patrimônio mais que considerável.

A esfera transitória – Os “transumidores”, consumidores que preferem a volatilidade das experiências, o entretenimento e o descobrimento à permanência de ativos fixos.

A esfera online – ou o status social 2.0 – depende da rede na qual se está integrado. Predomina o estilo “Tribo”.

A esfera caridosa – Dar. Dinheiro, tempo, talento. Milionários e outros nem tanto se deixam tentar pela tentação da filantropia. E pelo que ela garante en termos de status.

A esfera ecológica – acreditam que optar pelo consumo sustentável acrescenta status.

Daqui encontramos termos como “ecoesfera” – atmosfera ecológica, “ecochiques” – pessoas que adquirem ou querem adquirir bens ecológicos para poucos, os chamados “ecoícones” que podem ser caros ou acessíveis como os automóveis flex ( bicombustível). Claro que o indivíduo que consome produtos ecológicos ou ecologicamente corretos, exibem suas “ecocredenciais”, entendeu? Se o consumidor que busca status pode estar em uma destas esferas acima ou mesmo em mais de uma, assim aumentar seu nível de status. Enjoy

Um exemplo – revista 4 rodas

O i MiEV SPORT quase não tem frente, mas seu desenho fastback afila o contorno do teto rumo à traseira, compondo um formato semelhante ao de uma gota. As quatro rodas ficam nas extremidades desse carro elétrico.

A bateria de íon-lítio vem instalada sob o assoalho e o motor fica por baixo do porta-malas. Essas características proporcionam a este pequeno e informal cupê 2+2 esportivo de 3,45 metros de comprimento uma melhor distribuição de peso e um centro de gravidade mais baixo. Isso favorece seu comportamento dinâmico e até a segurança em caso de colisão.

O motor de 63 cv sob o porta-malas é apenas um dos que o i MiEV SPORT possui e move as rodas de trás. São três no total, sincronizados magneticamente o tempo todo. As rodas dianteiras têm cada uma seu próprio motor de 27 cv. Um sistema eletrônico E-4WD otimiza a performance de ambos. Com um motor elétrico, o sistema E-AYC (Electric Active Yaw Control) complementa o cardápio, controlando a estabilidade e distribuindo o torque para as rodas da direita e da esquerda do veículo. O conceito chega a 180km/h e tem autonomia de 200 km.

A profusão de siglas continua com o sistema S-AWC, que integra o ABS e o controle ativo de estabilidade ASC para controlar forças como tração e frenagem, sendo que esta também serve para recarregar a bateria. Há um gerador junto ao teto e um ventilador gera eletricidade de dentro da grade para maximizar o aproveitamento de energia do carro em movimento. Os vidros absorvem calor para facilitar o trabalho – e economizar energia – do ar condicionado. Muitos componentes do interior são produzidos em resina vegetal.