Mkt Viral

literalmente um anúncio verde

Postado em Atualizado em

naturals

Advertising Agency: Lowe Ginkgo, Montevideo, Uruguay – Creative Directors: Fernando De Clemente, Sebastián Mir. – Art Director: Agustín Acosta – Copywriter: Alvaro Palombo

Anúncios

“Why so serious?”

Postado em Atualizado em

Esse post é em especial para meu dupla e amigo batmaniac Diego  Moreau – do perdiessaaula, por falar nisso, caro leitor, “se liga” que o perdiessaaula prepara grandes novidades. enjoy:C) – pra ti Dieguito! Ah! o texto abaixo está na íntegra, o blog faz um excelente cobertura. Acompanhe a entrevista exclusiva ao Terra com Alex Lieu, diretor de criação da 42 Entertainment.

whysoseriousinterna

Juanjo Montanary, especial para o Terra – Direto de Cannes (

Muitos meses antes de “O Cavaleiro das Trevas” (Dark Knight) se tornar um sucesso de bilheteria, seus responsáveis já sabiam que estavam diante de algo mais do que um típico filme de super-heróis. O próximo passo foi dizer isto ao resto do mundo. Tal missão foi confiada à 42 Entertainment, uma agência especializada em fazer coisas nunca antes feitas e que já havia chamado a atenção de toda a indústria com campanhas revolucionárias para o game “Halo” ou o lançamento do álbum “Year Zero” da banda Nine Inch Nails (ganhadora do Grand Prix de Cannes em 2008), entre outras.

A 42 desenvolveu a famosa campanha “Why so serious?” (Porque tão sério?), visando se destacar em um mundo saturado de mensagens convencionais. A agência criou um imenso jogo multimídia, centrado na internet e desenvolvido no mundo real, para que todos os envolvidos participassem e terminassem se sentindo cidadãos de Gotham, a cidade de Batman. Entre suas conquistas, a campanha conseguiu reunir 250 pessoas atrás de pistas em um parque de San Diego, nos EUA, recebeu fotos de famílias de 56 diferentes países, vestidas como o Coringa e, em resumo, impactou de forma não convencional mais de 10 milhões de pessoas.

Acompanhe a entrevista exclusiva ao Terra com Alex Lieu, diretor de criação da 42 Entertainment:

Vocês já realizaram campanhas para nomes conhecidos como Batman, Halo e Nine Inch Nails. Como vocês realizam seu trabalho quando não há um gancho tão famoso?

Nós não precisamos de uma marca estabelecida, mas de poder identificar um público que tenha uma verdadeira paixão por algo, e assim nos certificamos de tocar sutilmente esta paixão. Por exemplo, se você deseja fazer algo relacionado ao futebol, existe um público que carrega uma enorme paixão e você pode encontrá-los falando diariamente do tema em muitos sites da web. Este é um ótimo exemplo de público com o qual é possível trabalhar e se destacar, proporcionando uma divertida experiência que pode fazer parte de forma nunca antes experimentada.

Pode-se dizer que consiste basicamente em plantar uma semente em uma comunidade e em seguida essa comunidade a faz crescer?

Sim e não. Nem sempre recorremos a comunidades ou fóruns de outras pessoas para plantar as sementes. O que fazemos é lançar as coisas e descobrir organicamente os sites em que se fala sobre o tema. Isso às vezes torna nosso trabalho mais difícil, pois temos que onde essas conversas e fóruns foram desenvolvidos, porém é normalmente algo que cresce muito rapidamente.

Após um sucesso tão grande como o “Why so serious?”, vocês aplicarão a mesma estratégia a outras campanhas?

Existem algumas estratégias centrais que estão sempre em nossa forma de pensar, mas aprendemos ao longo do tempo que há coisas que funcionam muito bem e outras que nem tanto. E os clientes não querem fazer a mesma coisa que antes. Por isso, somos sempre obrigados a proporcionar algo diferente e único, ainda que compartilhe o conhecimento e aprendizado que tivemos. Além disso, nós nos dirigimos a diferentes públicos e alguns deles ainda não tiveram a experiência real de ser convidado para um jogo e encontrar as pistas no mundo real.

Vocês estão especializados em públicos jovens? Deve ser difícil mobilizar públicos mais velhos para que façam coisas como se vestir de Coringa.

Bem, esse é um exemplo extremo do que fizemos, e foi algo interessante na forma de contar a história. Na internet, você pode ter contato pessoas muito apaixonadas e demograficamente mais diversificadas do que se pensa. Com O Cavaleiro das Trevas, tivemos um ótimo equilíbrio entre os públicos masculino e feminino. A princípio, ficamos surpresos com as campanhas do Halo, do Nine Inch Nails e especialmente com O Cavaleiro das Trevas, pois se supõe que sejam coisas destinadas especialmente aos jovens do sexo masculino entre 15 e 25 anos, e sem dúvida temos esse público, mas esse público se estende muito além, pois as pessoas gostam de se verem envolvidas em histórias, construir coisas em conjunto, trabalhar em comunidade e todos gostam de falar.

Minha contribuição viral

Postado em Atualizado em

Calma, minha influenza A não foi a h1n1, mas esse post é uma cópia do email do Jonatas Solonka, da Dubcom Branding. “segue um exemplo de viral que está fazendo o maior sucesso pelo tom de humor. Criado pela BorghiErh/Lowe, filme “Massagista”, que mostra que nem todo emprego é tão maravilhoso quanto parece.” Enjoy :c)

Solonka, aquele abraço, ri pra carai*.

combustível, água!

Postado em Atualizado em

ufa, diferente do post abaixo, essa valeu o dia! muito bacana a iniciativa de usar meios menos agressivos ao meio ambiente, grande idéia e impossível de não ver. enjoy :c)

agua295001

tipo: marketing direto titulo: Campanha Vá de Bike redação: Henrique Guimarães Martins direção de arte: Igor Mourelle direção de criação: Alvaro Camello agência: Minha Publicidade (RJ) anunciante: A! Body Tech mídia: Laura Chan atendimento: Gleice Hans  planejamento: Fellipe Pedro aprovação: Daniele Kato data de veiculação: 2009-04-03

hora do planeta

Postado em Atualizado em

é hoje 28 de março de 2009. aderi, em nome do futuro da humanidade e de toda a vida ao movimento hora do planeta, leitor, desligue seu pc, as luzes, busque as pessoas que mais gosta, prepare algo especial e se quiser dormir por uma hora tudo bem, claro que o esforço deve ser todo dia, mas mostre que se importa hoje. enjoy:c)

“virei”

Postado em

uma brincadeira com o chamado marketing viral – na real seria viralizei, ou seja de um olhar seria tornar viral, mas como o coloquial é mágico e há aquela desculpa da licença poética, brinco com o termo virei do verbo viral (ah se o meus amigos redatores lerem essa besteira vai ser mal pagarai), pois, apesar de ficar com pena do camaleão, esse vídeo ficou massa. Para o posicionamento da Ray Ban, tudo haver.

Client: Ray-Ban Agency: Cutwater Executive Creative Director: Chuck McBride Creative Director: Travis Britton Art Director: Kele Dobrinski Copywriter: Noah Phillips Agency Producer: Mai Huynh Production Company: Method Labs Director: Seb Caudron Director of Photography: Jim Matlosz FX Producer: Justin Harder, Seb Caudron VFX Company: Method Executive Producer: Lisa Houck Graphics: Mix House Musical Artist: Yuksek Song: Eat My Bear

um dia vou fazer algo parecido!

Postado em Atualizado em

Já se ligou nessa frase? um dia quero fazer algo desse ou daquele tipo?, não vejo como algo mal ou invejoso, e sim como uma forma de ir adiante e inovar. Já fiz algumas coisas quase parecidas, mas amarrar um cara num outdoor? seria muito bom, dia 14 de fevereiro foi o Valentine Day ou dia dos namorados e niver da minha irmã! ok! não vou amarrar minha irmã num outdoor, mas vou fazer algo parecido ao que a Princess e Mastercard fizeram, claro que com a ousadia da agência, a boa e centenária McCann. Enjoy :c)

mastercardhannah

Hannah Davis, will you be my valentine.
The things we do for love: Priceless

Advertising Agency: McCann London, UK
Creative Director: Matt Crabtree
Art Director: Ben Brazier
Copywriter: Johnny Skinner
Other additional credits: John Martin, Gary Todd
Released: February 2009